21/09/2021

Rússia rodará o primeiro filme no espaço

A Rússia quer vencer também a corrida espacial cinematográfica. Uma pequena equipe formada por uma conhecida atriz, um renomado cineasta e um veterano cosmonauta se preparam para decolar em 5 de outubro rumo à Estação Espacial Internacional (ISS, na sigla em inglês), onde gravarão "O Desafio", o primeiro filme rodado no espaço. Seis décadas depois de o soviético Yuri Gagarin se tornar a primeira pessoa a orbitar a Terra, superando os EUA na disputa por esse feito em plena Guerra Fria, Moscou acelera para se antecipar ao projeto norte-americano que tem a participação de Tom Cruise e do diretor Doug Liman, em colaboração com a NASA e a empresa Space X, do bilionário Elon Musk.

O filme russo contará a história de uma cirurgiã que precisa viajar ao espaço para tentar salvar a vida de um astronauta doente que não pode retornar à Terra. Sua produção chega precedida de uma cuidada sincronização e uma trabalhada campanha publicitária. A Roscosmos (corporação espacial estatal), o Canal Um (o mais visto da Rússia) e a produtora Yellow, Black and Whiteanunciaram o filme no ano passado, quatro meses depois do projeto de Holywood. Em seguida, revelaram que a protagonista seria uma mulher e abriram um casting para escolhê-la. Queriam “uma verdadeira super-heroína para ir às estrelas... E ao mesmo tempo se tornar ela mesma uma grande estrela internacional”.

As candidatas, que não precisavam ter experiência como atriz, deviam ter entre 25 e 40 anos, nacionalidade russa, peso entre 50 e 70 quilos e circunferência peitoral de até 112 centímetros. Além disso, tinham que conseguir correr um quilômetro em três minutos e meio, nadar 800 metros em 20 minutos e saltar de um trampolim de 3 metros “com uma técnica impressionante”, dizia o anúncio. Cerca de 3.000 mulheres se apresentaram. A prova final para as 20 finalistas que passaram por diversas provas consistiu, além de passar por um novo exame médico, em recitar um texto de Aleksandr Pushkin.

Finalmente, a escolhida para protagonizar o longa do popular Klim Shipenko – diretor de vários filmes de grande bilheteira na Rússia, e cujo nome também foi mantido em segredo até o grande anúncio – foi Yulia Peresild, de 36 anos, que encabeçou várias séries e filmes na Rússia e a quem segundo se diz tem boas relações com a órbita do Kremlin.

Peresild, Shipenko, de 38 anos, e o astronauta Anton Shkaplerov, que fará sua quarta missão pilotando a nave Soyuz MS-19 até a ISS, viajarão junto com uma equipe de suplentes neste sábado ao cosmódromo de Baikonur (Cazaquistão). Permanecerão ali por 12 dias. “Agora é tarde demais para ter medo”, comentou a atriz com um sorriso na entrevista coletiva desta quinta. Num país com uma longa tradição nas viagens ao espaço, um orgulho nacional, e onde muitas crianças sonham em se tornar cosmonautas, Peresild admitiu que esse nunca foi um dos seus desejos. Agora reconhece estar “emocionada”. “É maravilhoso, as possibilidades são infinitas.”

A atriz, o cineasta e o coronel Shkaplerov – junto com seus suplentes – passaram por vários meses de exames médicos e um rigoroso treinamento “quase militar”, comentou Peresild. “Somos pessoas criativas, e durante a preparação custou entrar num regime tão rigoroso, onde tudo era extremamente sério e quase não se podia brincar, embora apesar mesmo assim fizéssemos piadas”, contou a atriz. Para Shipenko, que mede 1,89 metro, o mais difícil foi o treinamento na nave. “Para quem quiser virar turista espacial, não se preocupe, logo prometeram aumentar as cadeiras para que fossem mais cômodas para os altos”, brincou. O cineasta enfrenta também o desafio de operar a câmera (adaptada para funcionar sem gravidade), a iluminação e o som.

 

Por EL PAÍS.